A Fabulosa Arte de Confabular!

Dizem as más línguas que mora o bicho-papão embaixo do meu colchão…
Dizem as más línguas que se eu saio lá fora o homem do saco me leva embora…
Dizem as más línguas que se não obedeço meus pais a cuca não me deixa em paz…
Dizem e riem mais quando faço as caras que o medo me traz.

Dizem as más línguas que a bruxa é ingrata e me transforma em barata…
Dizem as más línguas que na lua cheia o lobisomem rodeia…
Dizem as más línguas que se um espelho quebrar são sete anos de azar…
Dizem e eu nada digo, pois quem responde ou mente, o papai-noel não traz presente…

Eu gosto de dizer, quando o vento me refresca, que eu queria ter nascido na floresta…
Conhecer o curupira, lembrar que todo medo é uma mentira…
Encontrar a caipora e esquecer do tempo, felicidade não tem hora…
Aprontar com o saci muito longe daqui.

As más línguas do gosto azedo guardam um segredo…
Estudam desde cedo como fazer você ficar com medo…
Sabem tudo de cor para te enganar melhor…
Mentem adoidado e não perdem o rebolado…

Dizem as más línguas…
Digam as más línguas o que quiserem dizer, eu tapo os ouvidos e continuo a escrever…